Rosa Negra

Author: Hugo Torres / Etiquetas:


Podia ser Lótus, Papoila, Orquídea
Ou qualquer outra flor a escolher,
Mas foi a maldita Rosa branca
Que acabei por colher.

Seduzido pelo seu esplendor,
Dos seus espinhos me olvidei;
Provocam tanto ardor,
Qual a dor que eu serei.

A força e teimosia de abraçar
O que é belo mas nos faz cortar,
Que fará dor até sangrar...

Sangrar do sangue que nas veias nada
Tornando esta maldita Rosa encarnada.
Dor e prazer se fundem num só
Neste agarrar o ardor sem dó.

Mas continuarei a agarrar
Como uma possessão cega.
E sangro trevas que a vão banhar...
Auxílio! Colhi uma Rosa Negra.

1 comentários:

Blaze disse...

Eu venero este poema. Este poema tocou-me a níveis que nem pensava existirem!
Hugo, estás lá meu.