Desalento

Author: Hugo Torres / Etiquetas:


Rodopios no estômago
E o abraço da tristeza;
A Morte espreita-me
E o que vê? Beleza.

Arrepios de dor,
Gritos pela cidade;
A Morte escuta-me
E o que ouve?
"Piedade".

Calor sobrehumano,
Coração mais que negro;
A Morte toca-me
E o que se sente? Medo.

São milhas e milhas do sopé ao topo
E eu corro, corro como um louco;
Qual teu sonho, é corrida sem movimento,
É queda perpétua, o meu desalento.

0 comentários: