Espinhos

Author: Hugo Torres / Etiquetas:


Ouvi espinhos da tua boca
E meu coração recuou com medo,
Uma tal fobia, paranóia louca
De morrer, sangrar, assim tão cedo!

Mas meu peito estará eternamente
Aberto ao teu julgamento;
Será fiel, eterno crente
Em receber um sentimento...

Uma luz, brilhar constante,
Tal como o brilho do diamante,
Incontaveis Eras esperou

E assim continuará pela eternidade,
Palpitando, bombeando a saudade,
Este coração que nunca amou.

0 comentários: