A caverna e eu somos em uníssono

Author: Hugo Torres /

A caverna e eu somos em uníssono,
como a sargeta dos sonhos
e o ébrio que mendiga para
celebrar novamente a fantasia
que é a pausa constante da sobriedade.

2 comentários:

Van disse...

Engraçado.... eu sempre achei cavernas lugares aconchegantes e necessários. Tempos de caverna são tempos de introspecção e renovação. A minha caverna, eu a tornei deliciosa e confortável. Lá me deito, me aninho, me descubro, me dispo, me conheço, me toco, me reservo.... e renasço!
Beijucas

Corvi Umbra disse...

E como precisamos dessa caverna...