O peso do mundo sobre as tuas costas

Author: Hugo Torres / Etiquetas:

O peso do mundo sobre as tuas costas
é revelado no teu rosto cansado, na tua dúbia
postura de quem não o quer encarar.
Os dias e dias e dias e dias e mais dias em que os teus olhos
arrastam o teu corpo pelo mundo, as tuas pernas
já cansadas de tanto mas tão pouco andar,
os teus olhos já conspurcados por todo o pecado,
as tuas mãos ainda puerís que contrastam
com o peso do mundo no teu rosto rasgado,
negro, débil e cansado que reflecte solenemente
os teus pensamentos.
O peso do mundo sobre as tuas costas
são as voltas que ele dá e que tu dás,
que ambos dão e se anulam
e tudo fica igual, tudo é o mesmo,
tudo é ciclico sem se renovar: aborrece;
cansa.
O peso do mundo sobre as tuas costas
e a terra tão perto dos teus lábios,
a terra e o carvão e o asfalto e a areia
que te lançam para os olhos
e a poeira que te fazem tragar
e o sangue que jorra da tua face descarnada
e que marca o teu caminho.

0 comentários: