Respiração ofegante. “ Está à minha volta”, pensou ele, “ como uma entidade espectral, não se vê mas sente-se bastante bem. Começa no ventre, percorre todos os membros do nosso corpo, escurece-nos a alma e tornamo-nos animais. Animais daqueles que não vêm a luz do dia, não sei, talvez toupeiras ou vermes nojentos. A continuidade viscosa do caminho desses vermes escorre pelos dias, pelas horas, pelo espaço e pelo tempo enquanto sou animal, uma besta de sangue...

...Ninguém ama bestas de sangue.

Corro contra as paredes cinzentas, feitas de grandes pedras frias. Tudo o que ouço são os meus loucos passos contra o chão que é a minha casa.

0 comentários: